Eleições 2020: 5 dicas para potencializar a assessoria política

São inúmeros os elementos que um profissional de assessoria de comunicação política, ou mesmo de uma consultoria de marketing político, precisa gerenciar, especialmente durante um ano de eleição. As apostas são altas e todos os seus movimentos devem ser estratégicos e bem pensados.

Nunca foi fácil executar uma campanha, mas a internet e as mídias sociais tornaram a gestão mais complexa. Você precisa estar vigilante e acompanhar tudo, além de fazer o bom gerenciamento de recursos humanos e financeiros.

As eleições municipais estão chegando e, para facilitar essa jornada, preparamos cinco dicas de monitoramento de mídias e clipping de notícias que podem ajudá-lo no marketing político. Confira:

  1. Fique de olho nas redes sociais 

Goste ou não, as mídias sociais e a política se tornaram inseparáveis. Maior prova desse fenômeno é que duas das contas mais seguidas do Twitter são de políticos, no caso, Donald Trump e Barack Obama. 

Isso ocorre porque muito do nosso discurso político acontece pelas mídias sociais, em um cenário onde tweets e comentários representam o fórum público moderno. A capacidade das redes sociais de dar notícias em tempo real transformou a maneira como absorvemos as informações. E esse fluxo é inestimável para os políticos que procuram influenciar a opinião pública. 

O Twitter e o Facebook seguem sendo as principais plataformas para perfis de candidatos políticos. Com base nos dados demográficos das mídias sociais e em como as faixas etárias tradicionalmente votam, isso faz todo o sentido. Contudo, não desconsidere o monitoramento de outras mídias sociais, como Instagram e Tik Tok, que são mais utilizadas pelos jovens eleitores. Esse público representa uma base cada vez mais forte de pessoas interessadas ​​em ativismo político. 

O monitoramento de tudo que se diz nas redes sociais é fundamental para identificar como a imagem do candidato vem sendo percebida pelo público. Algumas soluções em monitoramento permitem até mesmo analisar sentimentos por meio da inteligência artificial, classificando as citações em neutras, negativas ou positivas e mapeando os gatilhos que causaram a repercussão.

  1. Coloque o fact-check em prática (verificação de fatos) 

As mídias sociais servem como fonte de notícias para 64% dos brasileiros, com muitas pessoas consultando-as várias vezes ao dia para atualizações. É por isso que é tão importante adotar uma abordagem proativa contra as informações erradas

Isso também inclui fazer declarações ou comentários que o candidato pode precisar voltar atrás. Falsas alegações e informações erradas são difíceis de conter depois de feitas. Inclusive, essas postagens são consideradas registros públicos, que podem acarretar em processos e outras consequências no mundo offline. 

Certifique-se de montar algum tipo de processo de aprovação ou, no mínimo, verifique suas fontes e palavras antes de postar declarações potencialmente controversas. As ferramentas de monitoramento podem ajudá-lo nesse processo, indicando tudo que está sendo comentado sobre um determinado assunto.

  1. Diminua o impacto das fake news nas eleições 

Aproveitando o embalo do tópico anterior, o termo fake news tem dominado as manchetes nos últimos anos. Durante as eleições de 2020, não deverá ser diferente. Para ter uma ideia, 62% dos brasileiros não sabem (ou não conseguem) identificar se uma notícia na internet é falsa ou verdadeira, de acordo com um levantamento da companhia de cibersegurança Kaspersky. 

Esses conteúdos falsos podem ser vinculados via texto, vídeos, imagens ou áudios manipulados e, por utilizarem gatilhos que chamam a atenção dos eleitores, são viralizados rapidamente. O que começa como um burburinho acaba se tornando um rastilho de pólvora que ocasiona danos, até mesmo permanentes, à reputação. 

É imprescindível que a assessoria de comunicação política e consultorias de marketing político identifiquem esses boatos à medida que surgem para poderem agir rapidamente em possíveis crises, antes que elas aumentem. Essa estratégia envolve o mapeamento de riscos, o monitoramento de palavras-chave para a gestão da imagem e a análise dos veículos jornalísticos que mencionam o assessorado. 

Temos alguns artigos que aprofundam este assunto: 

>> Qual é o papel de cada profissional da Comunicação na gestão de crise? 
>> Faça o download do nosso e-book: Como a ferramenta de monitoramento ajuda em crises de imagem

  1. Obtenha insights para a campanha 

Os eleitores indecisos são os que mais dão dor de cabeça aos candidatos. Há uma batalha constante para conquistá-los e garantir que eles votem no seu assessorado no dia das eleições. Usando o monitoramento da mídia, você pode acompanhar o que os eleitores desejam, quais problemas estão enfrentando e o que as mídias tradicionais estão falando sobre as necessidades do município.

>> Recomendamos este conteúdo: Por que monitorar notícias em ano de eleição é tão importante?

Dessa forma, o profissional da assessoria de comunicação política pode detectar as principais anseios do público e incorporá-los na campanha. Além disso, você pode responder às suas perguntas e preocupações e construir um forte relacionamento com os eleitores dessa maneira. 

  1. Acompanhe de perto a concorrência 

No decorrer de uma campanha, você deve acompanhar todos os movimentos dos oponentes do seu candidato. Nunca subestime a concorrência! Com o monitoramento de notícias inteligente, é possível estar um passo à frente, checar como a mensagem do oponente está repercutindo nos eleitores e verificar quais atividades públicas a campanha da oposição está organizando ou participando. 

Você pode detectar o que está faltando nas mensagens e na comunicação com os eleitores e preencher as lacunas para conquistá-los. Outra vantagem é aprender com os erros da figura política, monitorando a crise pela qual está passando, se for o caso. 

Essa atividade de aprender com os pontos positivos e negativos do concorrente é muito utilizada no mundo empresarial, recebendo o nome de benchmarking. Além disso, no final das eleições, o candidato terá dados valiosos que poderá usar para ver quais foram seus pontos fortes e fracos, aperfeiçoá-los durante o mandato e ajustar o que for necessário, caso concorra novamente nas próximas eleições. 

>> Leia também: Monitorar a concorrência facilita a tomada de decisões

A Knewin ajuda a assessoria de comunicação política e consultorias de marketing político a terem uma visão abrangente e estratégica de seus candidatos dentro das mídias tradicionais e redes sociais. Entre em contato e nos permita apoiar o crescimento do seu trabalho.