O que é clipping e como fazer um bom monitoramento de notícias?

o que é clipping

Se você deseja saber o que é clipping, entenda que essa estratégia tem a ver com monitoramento e análise de notícias, além da construção de relatórios para reportar resultados de comunicação.

Essa é a premissa da estratégia de clipping, que também é chamada de monitoramento de notícias ou de clipagem. 

Porém, é importante lembrar que existe uma linha tênue que separa entender o que é clipping e construir uma boa estratégia de monitoramento de notícias.

Afinal, é preciso pensar em estrutura, em palavras-chave, em objetivos e, principalmente, nas alternativas para monitorar conteúdos jornalísticos no dia a dia.

O que é clipping na rotina da assessoria de imprensa?

Quem atua com assessoria de imprensa sabe que o monitoramento de notícias é uma das bases da profissão.

Afinal, a partir da análise de menções sobre marcas, empresas e celebridades que foram pautadas pela imprensa, é possível:

  • Entender como a imprensa enxerga a marca.
  • Identificar gatilhos de crise.
  • Antecipar problemas.
  • Gerenciar a reputação da marca na mídia.
  • Entender os veículos que pautam a marca.
  • Acompanhar as ações da concorrência.
  • Monitorar as movimentações políticas e econômicas.
  • Identificar associações de imagem.
  • Analisar o sentimento das menções.
  • Obter dados para executar uma comunicação mais estratégica.

Em outras palavras, o monitoramento de notícias vai muito além do ato de recortar matérias e arquivar esses conteúdos, como era feito antigamente.

Hoje, a clipagem assume um papel estratégico para garantir um olhar completo sobre a imagem de uma empresa na mídia. E isso ajuda a assessoria de imprensa a evitar deslizes na reputação da marca, por exemplo.

Além disso, para entender o que é clipping, é necessário compreender que a assessoria de imprensa sofreu diversos impactos com o meio digital.

Isso quer dizer que, hoje, temos de acompanhar menções em veículos tradicionais e digitais, bem como em redes sociais.

Além disso, é preciso ir além do monitoramento de notícias. É necessário analisar os conteúdos jornalísticos pelo viés qualitativo e quantitativo.

Somente dessa forma vamos conseguir atuar de forma estratégica na assessoria de imprensa, garantindo resultados satisfatórios aos clientes de comunicação.

Porém, para fazer isso, é necessário saber como estruturar um clipping de resultados. E é aqui que muitos profissionais cometem deslizes.

Como estruturar um clipping de resultados

Para estruturar um monitoramento de notícias de resultados, é importante pensar no conceito do clipping e organizar as ideias em etapas.

Essas etapas vão te ajudar a conquistar uma visão mais esquematizada para explicar ao seu cliente o que é clipping e o impacto dos conteúdos jornalísticos na imagem das marcas.

Além disso, organizar o processo em etapas facilita o momento da criação de relatórios. Afinal, você vai saber quais são os objetivos de um determinado monitoramento.

Então, vamos às etapas de uma boa clipagem de notícias.

1. Definição de objetivos

A primeira etapa de um bom monitoramento de notícias é a definição de objetivos. É aqui que você vai identificar o que deseja acompanhar e o que pretende entender com o clipping.

Em outras palavras, esta etapa é a construção do chão da sua estratégia.

Sem uma boa definição de objetivos, todas as outras etapas ficam com ruídos e com resultados incertos.

Afinal, como podemos escolher palavras-chave ou métricas para analisar as matérias jornalísticas se não sabemos aonde queremos chegar?

Então, antes de entender o que é clipping como estrutura, volte alguns passos e faça o seguinte questionamento.

Qual é o contexto do monitoramento de notícias que desejo fazer?

A partir disso, você vai conseguir organizar a clipagem em categorias como monitoramento sobre o cliente, sobre a concorrência, sobre crises ou movimentações políticas.

2. Escolha de palavras-chave

A segunda etapa de um bom clipping é a escolha das palavras-chave que vão ser monitoradas.

E ela é tão importante quanto a definição de objetivos. Afinal, os termos-chave são a base para procurar conteúdos no meio digital.

É a partir deles que vamos segmentar o escopo do clipping ou que vamos deixar a pesquisa mais abrangente.

Então, a partir de agora, antes de colocar a mão na massa, respire e defina quais são as palavras-chave que importam para o seu monitoramento de notícias.

E você pode organizar esse processo da seguinte forma:

  1. Volte aos objetivos do seu clipping e entenda qual é o contexto que você deseja analisar.
  2. A partir disso, mapeie os termos relevantes para a clipagem, de acordo com as temáticas importantes para a estratégia.
  3. Pense em termos relacionados à marca que você gerencia.
  4. Inclua termos relacionados à concorrência.
  5. Não esqueça das palavras-chave alinhadas ao setor da marca ou ao contexto político.
  6. Entenda que as palavras-chave podem ser o nome do porta-voz, o nome da marca, nomes de produtos, entre outros.

Se você tiver dificuldade nesse processo, saiba que a gente tem um modelo editável para te ajudar. É só preenchê-lo de acordo com o seu contexto profissional.

Então, clique aqui para baixar o conteúdo.

Além disso, entenda que a definição das palavras-chave está alinhada à efetividade do clipping. 

Afinal, quanto mais precisas forem as palavras, mais resultados ricos o seu monitoramento vai conquistar.

3. Execução do clipping

A terceira etapa de uma boa clipagem é a forma como executamos o monitoramento e a análise de notícias.

Em outras palavras, aqui é o momento de escolher alternativas para otimizar o clipping e trazer resultados efetivos e alinhados ao seu contexto profissional.

E uma das coisas que precisamos considerar é que, hoje, o clipping é muito mais abrangente do que jornal impresso, rádio e TV. 

Isso importa, claro, mas não podemos esquecer das matérias digitais também.

Então, aqui fica a nossa primeira dica: monitorar notícias de forma manual não é a melhor escolha para a atual realidade da assessoria de imprensa. Afinal, são muitas fontes para analisar – e o risco de furos é alto.

Clipadoras

A primeira alternativa para otimizar o monitoramento de notícias é o investimento em uma clipadora como o Knewin Monitoring.

Aliás, as clipadoras, geralmente, são a primeira resposta quando se pensa no que é clipping. Afinal, elas são parceiras e extensões do trabalho da assessoria de imprensa.

Para resumir, o serviço de clipping te ajuda a otimizar o monitoramento e a análise de notícias a partir de uma equipe que fica responsável pela tarefa.

Com a premissa de unir atendimento e tecnologia, clipadoras como o Knewin Monitoring atuam como uma curadoria para a clipagem e garantem a entrega de relatórios qualitativos e quantitativos sobre as notícias.

Por fim, se você deseja conhecer o trabalho de uma clipadora, clique aqui e conheça o Knewin Monitoring.

Ferramenta de clipping

As ferramentas de clipping, por sua vez, são outra alternativa para otimizar o monitoramento de notícias e trazer resultados completos e efetivos.

Elas são tecnologias desenvolvidas especialmente para profissionais que precisam monitorar e analisar notícias diariamente. E ainda trazem funcionalidades que deixam o processo mais organizado e mais ágil.

O Knewin News, por exemplo, é uma plataforma completa para monitoramento e análise de notícias. Ele garante a captura de jornais impressos e digitais, além de rádio e TV.

Toda essa pesquisa é automatizada a partir do uso de palavras-chave estratégicas e de filtros específicos para clipping.

Além de facilitar a pesquisa abrangente de conteúdos jornalísticos, o Knewin News ainda facilita a criação e o disparo de relatórios de clipagem.

Por fim, se você deseja usar uma ferramenta de clipping em seu dia a dia, clique aqui e solicite uma demonstração gratuita no Knewin News.

4. Análise do monitoramento de notícias

Com a clipagem executada e a lista de notícias pronta, é hora de analisar os conteúdos a partir das angulações qualitativa e quantitativa.

O critério qualitativo mais utilizado neste momento é a categorização dos conteúdos jornalísticos em neutro, negativo e positivo, de acordo com o impacto daquela matéria na imagem de uma empresa.

Em outras palavras, aqui é a hora de fazer análise de sentimento.

Então, avalie o impacto de determinada matéria, palavra-chave ou temática. Aliás, é importante fazer essa diferenciação, a fim de entender a repercussão de um determinado termo ou assunto na imprensa.

Depois de organizar as matérias monitoradas pelo sentimento, você pode calcular a centimetragem (equivalência publicitária), avaliar a motivação do conteúdo (espontâneo ou provocado) e ainda entender qual é o tier do veículo.

O importante é compreender que essa análise do clipping é individual e tem de estar alinhada aos objetivos do monitoramento de notícias.

5. Criação de relatórios

Os relatórios são a última etapa para entender o que é clipping efetivo. E eles têm a ver com o ato de reportar resultados de comunicação.

É neste momento que você vai mostrar ao seu cliente o impacto das matérias jornalísticas na imagem e na reputação da empresa. Além disso, também vai conseguir demonstrar o valor do trabalho de comunicação a partir da inserção de matérias provocadas e espontâneas.

Porém, o importante é não deixar os relatórios de lado e organizar a estratégia de acordo com a necessidade do seu contexto profissional.

É possível criar relatórios de clipping diários, semanais e mensais, por exemplo. Cada um tem suas particularidades, mas todos podem ser otimizados com a ajuda das ferramentas de clipping ou das clipadoras.

Além disso, é necessário lembrar que os relatórios podem ser construídos a partir da listagem de notícias ou podem ir além, focando nas métricas utilizadas para analisar os conteúdos jornalísticos. Se quiser ajuda nesse sentido, faça o download do nosso modelo de relatório de clipping.

Por fim, se você deseja conquistar um clipping efetivo e que esteja inserido no cenário da informação digital, clique aqui e fale com um de nossos consultores. Nós temos soluções para deixar o seu monitoramento de notícias muito mais estratégico.